Ade Muri

Ade Muri é produtor e finalizador.
Produtor e coordenador de pós-produção dos projetos da Sambaqui Cultural. Atua no mercado como finalizador, sendo seus trabalhos mais recentes: "Minha Vida em Marte" (2018), de Suzana Garcia, com Paulo Gustavo e Mônica Martelli; e "Ana e Vitória" (2018), de Matheus Souza. Está finalizando o longa-metragem "Nós Não Vamos Pagar Nada", de João Fonseca, com Sabrina Schmütz e produção de A Fábrica; e as séries documentais "Amores Cubanos", de Alice de Andrade e "Sopro", de Beth Formaggini.
Foi coordenador de pós-produção na Giros Produtora, Conspiração Filmes, Estúdios Mega e Casablanca/Teleimage. Atuou na finalização de dezenas de filmes, entre eles "Menino 23", de Belisário Franca; "Vinte Anos", de Alice de Andrade; "Pastor Claudio", de Beth Formaggini; "As Aventuras de Agamenon - o repórter", de Victor Lopes; "Deus é Brasileiro" e "O Maior Amor do Mundo", de Carlos Diegues; "Se Eu Fosse Você", de Daniel Filho; "Casa de Areia", de Andrucha Wadington; "Meu Tio Matou um Cara" e "O Homem que Copiava", de Jorge Furtado; "Os Desafinados", de Walter Lima Júnior; e "O Bem Amado", de Guel Arraes, entre tantos outros.
Atua ainda na área de preservação audiovisual, coordenou as operações do núcleo de restauração digital da Casablanca SP e também do Estúdios Mega. Entre os principais trabalhos nesta área destacam-se obras de Glauber Rocha restauradas, "Idade da Terra"; "Barravento"; e "O Leão de Sete Cabeças".

Joana Nin

Joana Nin é diretora e produtora audiovisual.
Produtora executiva do longa-metragem “Praça Paris”, de Lúcia Murat; do longa doc “Auto de Resistência”, de Lula Carvalho e Natasha Neri, vencedor do Festival É Tudo Verdade 2018, produtora executiva da 3ª temporada da série "Os Homens São de Marte e é Para Lá Que Eu Vou", de Suzana Garcia, com Mônica Martelli, entre outros.
Produtora executiva dos projetos da Sambaqui Cultural, sendo os lançamentos mais recentes os telefilmes “Ultra Bebê” e ”Meu Bebê Reborn” (2018 - GNT). Está em pós-produção de seu novo longa-metragem documentário, "Proibido Nascer no Paraíso", encerrando a trilogia da maternidade, da qual também é diretora.
Estreou seu primeiro longa doc “Cativas – Presas pelo Coração”, no Festival do Rio 2013 - o filme ganhou menção honrosa do júri e depois integrou a seleção oficial do Stockholm Film Festival 2014. Seu primeiro curta, “Visita Íntima” (2005), participou de 40 festivais e recebeu 21 prêmios, entre eles o de melhor documentário no É Tudo Verdade 2006. Coordenou o curso de Produção Executiva em Cinema e TV da Academia Internacional de Cinema – AIC – RJ por dois anos; É professora na pós-graduação em Cinema Documentário da FGV, na disciplina de Produção Executiva no Documentário desde 2008. Participou de diversas comissões de seleção de projetos, com destaque para a atual atuação como parecerista do FSA e a comissão de seleção de longas-metragens do Programa Petrobras Cultural (2012).